Seja benvindo ao GDC Mais de Cristo! Hoje é

Resumo da Mensagem: 17 Julho


Acompanhe o resumo da mensagem pregada no Domingo (17 Julho) no Culto de Celebração da Família e dos GDCs em nosso Templo Central, sito a Avenida Governador Ivo Silveira, 1833 - Capoeiras, Florianópolis, SC.

Resumo da Mensagem: 17 Julho 2016
Preletor: Pr Aldery Junior
Texto Base: Êxodo 4.1-17

Introdução

- Moisés teve uma experiência com Deus na sarça ardente. Ele estava preparando-o para uma missão, um serviço especial.
- Deus tem um propósito na vida de cada um de nós.
- Se você quer saber por que você foi colocado neste planeta, você tem que começar em Deus. Você foi criado para um propósito, para o propósito de Deus.
- A experiência de Moisés nos inspira a pensar sobre o propósito de Deus para a vida de cada um de nós.
- Não fomos criados para correr atrás do vento, para nos importarmos apenas com coisas que acabarão por aqui mesmo, fomos criados para nos unir a Deus em uma missão...
- Deus nos chama para arregaçar as mangas e nos juntarmos a Ele com nossos talentos, nosso dinheiro, nosso tempo e nossa paixão.
- Deus não te colocou neste mundo, para ser expectador.

Primeira pergunta para Reflexão: O que você deve fazer, então, para cumprir o seu chamado e realizar a sua missão?

I – Veja o que você tem nas mãos (Ex 4.2)
- Comece com o que você tem. Deus pode usar qualquer coisa que você tenha na sua mão. Não diga que estão vazias. O apóstolo Pedro afirma que todos nós temos ao menos um dom (1a. Pedro 4.10).
- Deus não chama pessoas desocupadas.
- O cajado nas mãos de Moisés representava o trabalho dele como pastor de ovelhas.
- Há pessoas que dizem que não têm tempo para Deus, estão muito ocupadas. Além de se esconderem atrás de uma desculpa ingênua, podem estar chamando os demais de desocupados.

Segunda pergunta para reflexão: Por que Deus conta conosco para a Sua Obra?

II – Jogue no chão o que você tem nas mãos (Ex 4.3) 
- A ideia de jogar no chão sugere abrir mão, de disponibilizar-se de modo que Deus possa te usar.
- Foi isto que aconteceu no episódio da multiplicação, quando aquele menino colocou à disposição de Jesus os seus pães e peixes, uma imensa multidão foi alimentada. Aquele garoto levara o lanche para ele mesmo, mas, ao dividir, abençoou a muitos.

Terceira pergunta para reflexão: Qual o seu talento? Você pode usar este talento para Deus?

III – Não dê desculpas (Ex 4.10) 
- O problema de Moisés é que o foco da sua atenção era ele mesmo – suas limitações, seus problemas, e traumas, não conseguia ver os outros.
- Há muita gente como Moisés: focada em si mesma, em seus próprios problemas.
- Cristo é a pessoa que mais se voltou para os outros. Quanto mais servimos, mais nosso coração muda. Confiemos no Senhor, Ele vai manifestar o Seu poder em meio a nossa fraqueza, e limitação. Não dê desculpas.

IV – Obedeça, pois a missão é sua (Ex 4.12, 13) 
- A missão é individual e específica.
- Deus te deu talentos, use-os na Obra dEle.

Conclusão
- Encontramos uma expressão maravilhosa na parte final do versículo 20. “Levava na mão o cajado de Deus”. Aqui está o coração deste capítulo, é quando compreendemos que aquilo que temos em nossa mão, que simboliza o nosso chamado, na verdade não é nosso, mas de Deus.
- O cajado, que inicialmente era de Moisés, ao longo de todo o processo de convencimento e paciência de Deus finalmente transforma-se no cajado de Deus.
- Assim são as pessoas que resolveram colocar nas mãos de Deus tudo o que são e têm.
- Assim foi com o médico Lucas, o “bisturi de Deus”; com Paulo, o missionário, a “pena de Deus”, com a qual escreveu tantas cartas inspiradas pelo Espírito Santo.
- Assim também é hoje com aqueles que colocam seus instrumentos de trabalho nas mãos de Deus – o pedreiro que coloca a sua pá nas mãos de Deus e ela se torna a “pá de Deus”; o atleta que coloca as suas pernas nas mãos de Deus e elas se tornam “as pernas de Deus”; o empresário que coloca seu dinheiro nas mãos de Deus e ele se torna o “dinheiro de Deus”. A costureira, “a máquina a agulha de Deus”, o professor o “Giz de Deus”, o caminhoneiro o “volante de Deus”. O fazendeiro, a “fazenda de Deus”. O músico o “Instrumento De Deus” e etc..

E no teu caso: o que é teu que precisa ser de Deus? O que você tem nas mãos?

Texto adaptado: Pr Márcio Batista
Autor: Pr Melquizedeque
Com base na mensagem do Pr Aldery Júnior
Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »

:: Grupo de Discipulado e Comunhão ::